Vá com calma

Um dos benefícios que recebo ao frequentar as reuniões do Nar-Anon é que vejo e faço coisas diferentemente do que fazia antigamente. O lema “Vá com calma” foi difícil para mim. Sempre acreditava que existiam apenas duas maneiras de se fazer as coisas: a certa e a errada. Também acreditava que a maneira mais fácil, geralmente não era a certa. Num esforço de fazer as coisas certas, como as via, muitas vezes complicava mais a situação já difícil, tentando forçar o que achava ser o melhor e assim me assegurando de que estava ajudando. Na verdade estava fazendo pouca coisa certa; estava apenas tornando minha vida mais complicada e confusa.

No Nar-Anon aprendi a não ser crítico com as nossas ações e com as dos outros. Não preciso rotular as coisas apenas como certas ou erradas. Hoje faço o melhor que posso, mas sem cobranças e recriminações pessoais de que não estou tentando o suficiente ou que as coisas não estão acontecendo rápido como deveriam. Aceito melhor as coisas mesmo quando não acontecem como planejei. A vida atira desafios suficientes em meu caminho, por isso não preciso procurar ou criar mais nenhum.