A ILUSÃO DO CONTROLE

Quando conheci meu marido eu não sabia de sua dependência química, embora desconfiasse. Ainda éramos noivos quando ele resolveu me contar, fiquei apavorada,  mas por amor resolvi ajudá-lo. Sem saber lidar com essa doença, me permiti cair em suas manipulações e mentiras ao ponto de me casar pensando que teria controle sobre ele e seu uso de drogas.  Após alguns meses percebi a realidade e vi o quanto a situação era séria. Pedia-lhe que  parasse de usar; ele prometia, mas não conseguia cumprir. Tentamos de tudo e nada adiantou. Até que lhe sugeri a internação em uma clínica de recuperação. No início ele não aceitou, mas disse-lhe que essa era a minha condição para continuar com ele, pois eu não aguentava mais essa vida.  Por fim ele concordou e na clínica me indicaram o Nar-Anon.  Comecei a frequentar as reuniões  e através das partilhas de força e esperança percebi que não estava mais sozinha. Em poucos meses aprendi que não devo criar expectativas pelo amanhã e estou aprendendo a viver Só Por Hoje. Ainda encontro dificuldades,  mas os Lemas e a Oração da Serenidade têm me ajudado muito.