AÇÃO SEM AGRESSÃO

Meu filho recaiu ontem, após alguns meses limpo e recém saído da clínica. Há algumas 24 horas frequento as reuniões do Nar-Anon, pois a convivência com a adicção de meu filho estava começando a descontrolar a minha vida. Através das literaturas e partilhas de companheiros, pude compreender que a adicção é uma doença, me conhecer melhor e viver minha vida.  Depois de algum tempo limpo meu filho recaiu e consegui, com amor e assertividade, convencê-lo  voltar à clínica. Se isso ocorresse antes de frequentar às reuniões, com certeza estaria confusa e me deixaria ser manipulada por ele. Se meu ente amado luta contra sua doença e isto me atinge, é fundamental que eu me ajude também, para não me envolver em seus problemas, o que me deixaria completamente incapaz de lidar com a minha própria vida. Não nego minha tristeza, mas sei que tomei a melhor decisão desde quando soube de sua adicção. Passei a pensar e agir não mais por impulso, medo e ansiedade, mas na hora certa. Funciona! Entendi que meu filho tem uma doença que pode ser controlada, mas depende só dele. Mesmo com essa recaída tenho esperança, mas como Nar-Anon não quero perder o foco em mim. Graças aos princípios dessa programação tive energia suficiente para agir com objetividade, sem barulho, violência e agressão.