FACILITAÇÃO POR AMOR

Partilhar ajuda na minha recuperação e por isso resolvi escrever minha descoberta de uma nova vida com a ajuda da programação. Ingressei no Nar-Anon com minha vida desestruturada, com total desequilíbrio emocional e em nome de um amor que hoje digo puramente egoísta e material. Sentia a necessidade promover facilitações na vida dos adictos de minha casa e não me dava conta que os desrespeitava, desacreditava no potencial de recuperação deles, julgava-os e buscava ajuda para eles. Demorei a perceber que quem precisava de ajuda era eu. Caminhei por “algumas 24 horas” até conseguir ver que a minha facilitação doentia alimentava o ciclo vicioso da doença de forma a não permitir o crescimento de meus familiares.

Achava que tinha que defender meu filho desse mundo cruel de injustiças, dores e sofrimentos, que eu poderia lhe oferecer um mundo melhor, que poderia lhe dar tudo que ele quisesse ou precisasse para viver. Errei... errei, mas errei na tentativa de acertar. Contudo essas tentativas alimentavam cada vez mais um mundo destruidor que é a adicção. Faltava-me coragem para as atitudes assertivas. Quando eu iria verdadeiramente por em prática o Passo Um admitindo minha impotência e que minha vida tinha se tornado incontrolável? Quando iria seguir os Lemas?

Certo dia, sob efeito das drogas, meu filho destruiu nosso apartamento, brigou com meu marido e acabou ferido fisicamente. Nesse caos, percebi que eu tinha uma programação para me ajudar a sair do fundo do poço em que me encontrava. Nesse momento de muita dor, toda a programação ecoava em meu ser interno. Lembrei-me da partilha de uma companheira e fortalecida pela Oração da Serenidade percebi que eu precisava parar de me enganar que o estava protegendo e tomar atitudes assertivas. Consegui dizer não para suas manipulações, coloquei limites e estou trabalhando a minha recuperação.  Sei que ainda sou controladora, mas estou aproveitando para crescer e mudar meu foco. Não sei como nossa história irá caminhar, mas a irmandade me ampara e me fortalece nessa busca de atitudes assertivas. Sou grata ao Nar-Anon.