UM DIA DE CADA VEZ

Sou esposa de um adicto há quinze anos e temos um filho.  Durante a internação de meu marido em uma clínica de reabilitação ouvi falar sobre o Nar-Anon. Descobri então que eu também precisava de ajuda e comecei a frequentar as reuniões em um Grupo Nar-Anon.  Meu esposo ficou internado durante seis meses, mas logo depois que saiu da clinica recaiu.

Infelizmente ele estava se tornando uma pessoa violenta e foi necessária a nossa separação. Não foi fácil para mim, mas, independentemente de voltar a conviver com meu marido ou não,  continuo frequentando as reuniões no Nar-Anon, onde aprendi a entregar tudo nas mãos de meu Poder Superior e a viver um dia de cada vez.