Praticando os Passos, descubro a pessoa que sou, vou me reformulando sem exigências. No Passo Sete, percebo que a cada dia invisto um pouco mais na minha recuperação, removendo os defeitos de caráter que posso. 

Vivendo um dia de cada vez, reconheço que consigo me amar e amar meus familiares adictos.

No Passo Quatro, identifiquei alguns defeitos de caráter que antes acreditava serem positivos. Continuando meu processo de recuperação, exercitei o Passo Cinco. Admiti para minha madrinha de Nar-Anon as descobertas que estava fazendo e ela me ajudou a iniciar o Passo Seis. Assim, fiquei pronta para remover o que então me desagradava, praticando as seguintes ferramentas do Nar-Anon: Oração da Serenidade, frequência regular às reuniões, ouvindo e partilhando, aplicando os lemas no meu cotidiano, estudando os Passos e os empregando na minha vida.  

Ao utilizar o Diário de Recuperação e o apadrinhamento, tive um novo despertar espiritual, ficando fortalecida para exercitar o Passo Sete, quando, finalmente, me coloquei diante do Poder Superior, pedindo de mente e coração abertos que me ajudasse a remover minhas imperfeições.

Agora compreendo que posso viver e deixar o outro viver. Afinal, somente eu sou responsável por minha recuperação.