ESCUTE E APRENDA

ESCUTE E APRENDA

Este foi um lema muito difícil para mim. Além de falar demais, eu tinha o mau hábito, consciente ou
inconsciente, de interromper os outros, de tirar conclusões apressadas, de julgar tudo o que ouvia pelas
minhas crenças, experiências, costumes, expectativas, pressuposições e preconceitos. Querendo
dominar um diálogo, gastava mais tempo pensando no que iria responder, ou dizer, do que escutar o
que os outros tinham para falar. Ficava tão ansiosa que muitas vezes, no final, não entendia o teor de
uma conversa, de uma palestra e até mesmo de um filme. Lembro-me que na minha primeira reunião de
Nar-Anon, não consegui assimilar nada, pois queria ser ouvida, queria falar do meu problema.
Graças ao meu Poder Superior continuei voltando porque senti que ali eu era ouvida e entendida,
embora ainda continuasse julgando e querendo dar conselhos. Após algumas 24 horas, já não tinha tanta
ansiedade em falar, e descobri que escutando as partilhas de experiência dos meus companheiros,
aprendia cada vez mais. Descobri respostas e soluções que eu tanto procurava, apenas escutando com
atenção e amor.
Saber escutar exige prática e treinamento. A coordenação de reuniões, o acolhimento aos novos e o
apadrinhamento me ajudaram muito a praticar esse lema.